Posted tagged ‘Beckenbauer’

Capitães que levantaram as Copas

10/02/2010

O desafio do jornalista Paulo Vinícius Coelho desta terça-feira, 9 de fevereiro, fala sobre capitães que ergueram as taças das Copas do Mundo.

A enquete proposta: Nunca um jogador levantou a taça duas vezes como capitão. Verdadeiro ou falso?

Obdulio Varela

É Verdadeiro. Vejamos:

Copa de 1930 – Campeão: Uruguai. José Nazassi levantou a taça.
Copa de 1934 – Campeão: Itália. Gianpiero Combi levantou a taça.
Copa de 1938 – Campeão: Itália. Giuseppe Meazza levantou a taça.
Copa de 1950 – Campeão: Uruguai. Obdulio Varela levantou a taça.
Copa de 1954 – Campeão: Alemanha. Fritz Walter levantou a taça
Copa de 1958 – Campeão: Brasil. Bellini levantou a taça.
Copa de 1962 – Campeão: Brasil. Mauro levantou a taça.
Copa de 1966 – Campeão: Inglaterra. Bobby Moore levantou a taça.
Copa de 1970 – Campeão: Brasil. Carlos Alberto Torres levantou a taça.
Copa de 1974 – Campeão: Alemanha. Franz Beckenbauer levantou a taça.
Copa de 1978 – Campeão: Argentina. Daniel Passarella levantou a taça.
Copa de 1982 – Campeão: Itália. Dino Zoff levantou a taça.
Copa de 1986 – Campeão: Argentina. Maradona levantou a taça.
Copa de 1990. Campeão: Alemanha. Lothar Matthäus levantou a taça.
Copa de 1994 – Campeão: Brasil. Dunga levantou a taça.
Copa de 1998 – Campeão: França. Didier Deschamps levantou a taça.
Copa de 2002 – Campeão: Brasil. Cafu levantou a taça.
Copa de 2006 – Campeão: Itália. Cannavaro levantou a taça.

Possíveis pegadinhas: Meazza, capitão campeão em 1938, estava na Seleção da Itália de 1934, mas ali era Combi o capitão.

Giuseppe Meazza

O mesmo aconteceu com o brasileiro Belini. Campeão e capitão em 1958, foi reserva em 1962, quando Mauro levantou a Jules Rimet.

Daniel Passarella, capitão argentino em 1978, esteve no banco em 1986. Maradona era o capitão.

Daniel Passarella

Cafu, campeão em 1994 como reserva durante a maior parte da Copa, levantou a taça em 2002.

Jogo entre vizinhos de Muro

23/11/2009

90minutenJá que neste mês de novembro se lembra o aniversário dos 20 anos da queda do Muro de Berlim, o blog resolveu falar sobre a Copa de 1974, disputada em terras alemãs. Mais precisamente sobre a partida entre Alemanha Ocidental (Bundesrepublik Deutschland – BRD) e Alemanha Oriental (Deutsche Demokratische Republik – DDR).

Foi a única participação da DDR em Copas. Os três títulos germânicos (1954, 1974 e 1990) foram conquistados pela BRD antes da reunificação, consolidada em outubro de 1990. Mais tarde, a FIFA decidiu juntar também as taças, consideradas da Seleção Alemã.

O curioso é que as duas equipes caíram no mesmo grupo da primeira fase. Na estreia, ambas as equipes venceram. A BRD bateu o Chile por 1×0, enquanto a DDR superou a Austrália por 2×0. Na segunda rodada, a Alemanha Ocidental fez 3×0 na Austrália, enquanto a Oriental ficou no 1×1 com o Chile.

Veio então o esperado confronto, no dia 22 de junho, em Hamburgo. Reza a lenda que os já classificados ocidentais não se esforçaram muito na partida contra os vizinhos de muro, pois queriam evitar um confronto contra o Brasil na fase subsequente.

Mas o que ficou pra história foi o triunfo da DDR, que jogava de azul. Jürgen Sparwasser marcou o gol da vitória de 1×0, aos 32 do segundo tempo. A Alemanha Oriental caiu num grupo com Argentina Brasil e Holanda, que chegaria à final.

Já a BRD, guiada por Franz Beckenbauer, enfrentou Polônia, Suécia e Iugoslávia no caminho para a decisão, na qual bateu a Laranja Mecânica, sensação daquela Copa.

brdddr

Os capitães Franz Beckenbauer e Bernd Bransch se cumprimentam antes do confronto histórico

Ficha do Jogo

Alemanha Oriental: Croy; Kurbjuweit, Bransch, Weise, Kreische; Wätzlich, Kische, Lauck; Irmscher (Hamann), Sparwasser, Hoffmann. Técnico: Georg Buschner.

Alemanha Ocidental: Maier; Vogts, Schwarzenbeck (Hoettges), Beckenbauer, Breitner; Cullmann, Overath (Netzer), Hoeness; Grabowski, Gerd Müller, Flohe. Técnico: Helmut Schön.

Local: Volksparkstadion, em Hamburgo
Árbitro: Ramon Barreto (URU)
Auxiliares: Luis Pestarino (ARG) e Armando Marques (BRA)
Cartões Amarelos: Kreische, Sparwasser e Croy (DDR)
Público: 60.350
Gol: Jürgen Sparwasser (DDR) 32min do 2º tempo